sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Amanhecer: entretenimento ou influência maligna?


 
Amanhecer: entretenimento ou influência maligna?


     Estreia nesta sexta-feira, 18, o filme “Amanhecer – Parte 1” que dá sequência aos filmes da saga Crepúsculo, inspirados nos livros da autora americana Stepheine Meyer que conta a história de um triangulo amoroso entre uma humana, um vampiro e um lobisomem. Não só pelos personagens, mas por todo o enredo da série muitos pastores evangélicos condenam a obra e alertam sobre as más influencias que esse material pode trazer.
   Apesar dos adultos tecerem opiniões contrárias à saga, muitos jovens evangélicos acabam tomando conhecimento e tendo contato com as obras, alguns acreditam que não há problemas em consumir esse tipo de entretenimento, outros, porém acreditam que essas histórias trazem má influência para os jovens, como diz Guilherme Andrade, filho de um pastor da Igreja Batista em Minas Gerais.
“Eu acredito que o diabo trabalha para descaracterizar o mal, conformando as pessoas. Vampiros e lobisomens sempre estiveram vinculados com o submundo, com a maldade e etc… E esse filme mostra que o mal não é tão mal assim”, disse o músico de 18 anos.
     Guilherme tem uma irmã, Miriã Andrade, de 15 anos. Ela já assistiu a dois filmes da série, mas não é fã da saga e não pretende assistir ao filme que está sendo lançado nos cinemas. Questionada se sente “fora” da moda, já que esses filmes são a grande sensação entre as adolescentes, ela responde que não.
“Eu não me sinto fora de moda não. Não curto aquele filme. Eu só acho o Jacob bonito porque o Edward é muito feito”, declara sorrindo. Miriã tem a média da idade das garotas que lotam os cinemas e consomem todos os materiais que a saga acaba gerando como revistas, pôsteres e etc.
    É exatamente a beleza dos personagens e a forma como eles vivem um amor impossível que tem atraído jovens do mundo todo. Alguns acreditam que é apenas uma história de amor, outros porém, assim como Guilherme e Miriã acreditam que o filme faz com que o mal se torne bom.
“Se o diabo viesse se mostrar para as pessoas do jeito que ele é, ninguém gostaria de vê-lo. Mas ai aparece na forma do bonitão lá, o Edward e o Jacob do Crepúsculo, ai todas as menininhas querem ter o ‘capetão’ na parede do quarto”, opina Guilherme.

Permitir ou proibir?

    Há relatos de evangélicos nos Estados Unidos alertando sobre a influência que esse filme causa nos jovens despertando o interesse pelo ocultismo. No ano passado o pastor  Silas Rahal, da Igreja das Américas em Nova Friburgo (RJ) ,chegou a declarar que os filmes e livros já lançados divulgam o vampirismo entre os jovens.
    Para falar sobre os aspectos apresentados nessas obras, o pastor americano Dave Roberts lançou o livro “A Sedução do Crepúsculo” (Editora Mundo Cristão) onde analisa os textos de Stepheine Meyer não só em relação ao ocultismo, mas também acerca da sensualidade, rebelião, mitologia vampiresca e outros aspectos que podem influenciar o jovem. Esse livro serve para alertar pais e jovens acerca da literatura que virou febre mundial e deve ser lida por quem já teve acesso aos materiais já lançados.
Em um artigo postado no site da Igreja Batista do Morumbi, Ana Lucia Bedicks escreve dizendo que melhor do que proibir os jovens de acessar esses conteúdos é permitir e apresentar algumas questões a serem discutidas sobre cenas que passam no filme, como por exemplo, as tentativas de suicídio que Bella comete tentando se aproximar de Edward no filme “Lua Nova”.
     O filme que estreia nesta sexta-feira, 18, no Brasil é o quarto da série e será dividido em duas partes, sendo que a segunda será lançada apenas em dezembro de 2012. Os três primeiros filmes da franquia somaram mais de US$1,76 bilhões de bilheteria, comprovando ser um sucesso mundial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário