sábado, 26 de novembro de 2011

Nos EUA, mãe diz por que filho tinha material de bomba: 'Foi a religião'

O muçulmano Pimentel pretendia matar
soldados que estiveram no Afeganistão
A dominicana Carmen Sosa, 55, não tem dúvida sobre o que deixou perturbado o seu caçula, o americano naturalizado José Pimentel, 27 (foto): “Foi a religião”.

Pimentel foi preso domingo (20) pela polícia americana sob a acusação de conspiração. Ele tinha em sua casa material para a confecção de bombas com as quais pretendia, inicialmente, como teste, explodir caixa de correios para, depois, usá-las contra soldados que estiveram no Afeganistão e no Iraque.

Sosa, que é católica, contou aos jornalistas que seu filho era uma pessoa normal que mudou quando se tornou devoto do Islã. De extrovertido, se tornou fechado. Deixou de dançar salsa e de ouvir as músicas românticas do mexicano Cristian Castro.

Pimentel tem um filho de 3 anos de um casamento que durou pouco. Ele não vê a criança há tempos. Morava com a mãe em um bairro perto do Harlem. Seu mais recente emprego, há cerca de dois anos, foi em um supermercado.

Disse a mãe: "Ele começou a gostar das ideias do Islã. No princípio ele só ficava lendo coisas sobre isso. Depois, entrou na religião. Frequentava uma mesquita na Rua 96th, esquina com a 3.ª Avenida [em Nova Iorque]. Cada vez que ia comer rezava, cada vez que ia sair, rezava."
Com informação do Estado de S.Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário