sábado, 26 de novembro de 2011

NYT diz que Malafaia firma liderança em um Brasil cada vez mais evangélico

Foto da reportagem com mais de mil palavras
O New York Time dedicou uma reportagem de mais de mil palavras a Silas Malafaia, 53, para destacar que o pastor está firmando sua liderança em um Brasil onde 1 em cada 4 pessoas pertence a uma igreja evangélica.

Observou que Malafaia tem conseguido atrair também a atenção de quem não é seguidor de sua igreja por conta de seus embates verbais – ou “guerra cultural”, como diz o jornal -- com representantes do movimento gay.

Simon Romero, correspondente no Brasil do jornal, escreveu que o pastor tem ampliado a sua influência por intermédio de seus programas na TV e na internet. “Na Twitter, ele tem quase 250 mil seguidores.”

“Ele mobilizou milhares de pessoas em passeata na capital, Brasília, este ano contra um projeto de lei que visa ampliar a legislação antidiscriminação com a inclusão da questão da orientação sexual.”

Em contrapartida, segundo a reportagem, Malafaia tem angariado adversários dos setores liberais da sociedade e entre os próprios líderes evangélicos. “A sua proeminência crescente fez dele uma fonte de admiração e inquietação.”

Romero ouviu Andrew Chesnut, especialista em religiões latino-americana, que comparou Malafaia ao americano Pat Robertson, um pastor da direita evangélica conhecido por suas afirmações polêmicas e poder de influência na política.

A reportagem disse que, além de Malafaia, líderes evangélicos, principalmente os pentecostais, passaram a ter poder político, com sua própria bancada no Congresso.

“Nem todo mundo no Brasil está entusiasmado com essa mudança”, disse a reportagem, que, como exemplo, citou a jornalista ateia Eliane Brum que em recente artigo para a revista Época se queixou da intolerância dos evangélicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário