domingo, 13 de novembro de 2011

Razões porque a Igreja Universal do Reino de Deus não pode ser considerada evangélica.

Por Renato Vargens

Tenho absoluta certeza que se o reformador alemão Martinho Lutero fosse vivo estaria na linha de frente contra os ensinamentos espúrios da Igreja Universal do Reino de Deus. Isto afirmo baseado no fato de que tudo aquilo que os reformadores lutaram como, superstição, misticismo, idolatria, venda das indulgências, autoritarismo papal, está indubitavelmente enraizado na igreja “macediana” .

Acredito piamente que o Catolicismo Romano do século XVI possui similaridades interessantíssimas com a Universal do Reino de Deus, até porque, ambos fundamentam suas doutrinas e comportamentos em três pilares, as Escrituras Sagradas, a tradição e autoridade apostólica papal. Na verdade, tanto católicos como os seguidores de Edir Macedo não consideram na prática a Bíblia como única e exclusiva regra de fé. Isto porque, para ambos os movimentos, a tradição bem como a experiência adquirida com o sagrado, possuem um enorme peso na consolidação de suas doutrinas. Junta-se a isso, o fato de que as duas correntes possuem em suas estruturas eclesiásticas lideres papais, cuja autoridade apostólica é inquestionável. Além disso, ambos mercantilizam a fé, comercializando as benesses divinas, oferecendo aos fiéis objetos sagrados que possuem em si poder suficiente para operar milagres.

Quanto à práxis litúrgica os “macedianos” faze-nos por um momento pensar que regressamos aos tenebrosos dias da idade média, onde como no século XVI, a manipulação religiosa se faz presente mediante bispos e pastores que em nome de Deus estabelecem doutrinas que se contrapõem a Palavra revelada do Senhor.

Tanto o Catolicismo Romano como o evangelho pregado pela IURD entendem que as bênçãos de Deus não são frutos de sua maravilhosa graça, mais sim, conseqüência direta de uma relação baseada na troca ou no toma-lá-dá-cá. Neste contexto, tudo é feito em nome de Deus e para se conseguir a benção é absolutamente necessário pagar e pagar alto! Nesta perspectiva tudo se vende, desde o sal grosso até pequenos frascos contendo água do Rio Jordão.

Por favor, responda sinceramente: Qual a diferença da oferta extorquida do povo sofrido nos dias atuais pra venda das indulgências da idade média? Qual a diferença dos utensílios vendidos no século XVI, para os que comercializados em nos templos da IURD?

Caro leitor, isto posto afirmo que a Igreja Universal do Reino de Deus não é uma Igreja protestante ou evangélica. A sua teologia é sincrética, antropocêntrica e demoníaca. Além disso, ela não possui nenhuma relação teológica ou confessional com as expressões da Reforma, antes pelo contrário, seus ensinamentos contrapõem-se as doutrinas da ortodoxia evangélica. Afirmo também que a IURD constitui-se em uma seita e que de forma cruel tem disseminado um evangelho absolutamente diferente do Evangelho da Bíblia.

Pense nisso!

Renato Vargens

Nenhum comentário:

Postar um comentário