sábado, 3 de dezembro de 2011

Bispo afirma que celulares são “ferramentas para o pecado”


    O bispo da diocese de Encarnación, no Paraguai, Claudio Silvero criticou o uso de aparelhos de telefone celular por parte dos fiéis. A afirmação foi feita durante a sua homilia numa missa no santuário Caacupé, que fica perto de Assunção, capital do país.
      Para o líder religioso, os celulares “são malditos e ferramentas para o pecado”, pois permitem que sejam acessadas facilmente páginas de conteúdo pornográfico. Disse também que as pessoas podem usá-los para “relações impróprias” e servem para “destruir as famílias”.
     E finalizou, dizendo  “Na igreja acreditamos  que 40% das famílias cristãs estão sendo destruídas pelo uso errado do celular e da internet.  Muitos lares estão arruinados por culpa desses celulares, pois com eles é possível manter-se relações inapropriadas. É nossa obrigação, como igreja, orientar e alertar os paroquianos sobre o uso deste aparelho.”
     A opinião do bispo paraguaio não é compartilhada pela maioria dos líderes da igreja católica. Os telefones celulares e a internet são usados pela grande maioria dos padres e mesmo entre os funcionários do Vaticano. No ano passado, o papa pediu que a Igreja começasse a usar mais as redes sociais e que os sacerdotes tivessem blogs.
     Bento 16 alertou os padres para que não tentassem se tornarem “estrelas” com a nova mídia. “Os padres no mundo das comunicações digitais devem ser mais chamativos pelos seus corações religiosos do que por seus talentos comunicativos”, disse ele.
     O Vaticano lançou um novo site, www.pope2you.net, que oferece um aplicativo chamado “O Papa se encontra com você no Facebook”, e outro permitindo acesso aos discursos e mensagens do Papa nos celulares ou computadores dos fiéis. Este ano foi inaugurada a conta de Twitter oficial do Papa. A igreja católica tem produzido em diferentes partes do mundo seus próprios aplicativos para celular.
O bispo Silvero não é o primeiro líder religioso a “alertar” seus fiéis sobre a internet este ano. Edir Macedo,  líder da Igreja Universal do Reino de Deus, pediu em julho passado, que os fiéis da sua igreja ficassem 21 dias longe de internet, TV, rádio e jornais: “De tudo o que não for de Deus”, postou ele em seu blog.

Traduzido e adaptado por Gospel Prime de CBS News e News Times

Nenhum comentário:

Postar um comentário