sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Pastor Pede Retratação a Jô Soares por Sugerir que Bíblia Serve para Fumar Maconha

Jo Soares     Um abaixo-assinado criado na internet pelo pastor Renê de Araújo Terra Nova, pede que o apresentador Jô Soares e os cantores Tom Zé e Moraes Moreira se desculpem por terem feito piada com a Bíblia no "Programa do Jô" do dia 17 de novembro, na TV Globo.
    No programa foi exibido um trecho do documentário "Filhos de João, o Admirável Mundo Novo Baiano". Nele, um entrevistado fala que o grupo Novos Baianos fazia cigarros de maconha com páginas da Bíblia. Na ocasião, o apresentador, que entrevistava Tom Zé e Moraes Moreira, comentou que a Bíblia tem "mil e uma utilidades".
     O líder religioso do Ministério Internacional da Restauração postou mensagens no Twitter reclamando das declarações de Jô e seus entrevistados e ainda veiculou um vídeo protestando contra a postura do apresentador.
      Segundo ele, foi “infeliz ao afirmar que a Bíblia tem mil e uma utilidades”. O abaixo-assinado criado por ele já reuniu 13 mil assinaturas até a noite de quinta-feira (15) e diz:
“Para todos os cristãos que têm a Bíblia como o Livro Sagrado. Nós, abaixo-assinados, repudiamos as declarações apresentadas no Programa do Jô, veiculado no dia 17 de Novembro de 2011, sobre o fato de fumar maconha com as páginas da Bíblia. A Bíblia é o Livro Sagrado da Nação Brasileira para todos os cristãos".
       No abaixo-assinado, o líder evangélico propõe a reivindicação à retratação de Jô Soares, Moraes Moreira, Tom Zé e Henrique Dantas que, segundo ele, zombaram da situação e menosprezaram o "valor inenarrável da Bíblia Sagrada".
"Este é um ato que deve ser compartilhado por todos os que temem a Deus e zelam pela Sua Palavra”, diz o texto.
       O compositor Tom Zé disse em seu blog que é "inveterado leitor (da Bíblia)" e que "converso sobre ela com amigos, ouço o que os doutores têm a dizer. E divulgo".
       Somando-se aos atos de repúdio contra a polêmica entrevista, o pastor e Deputado Marco Feliciano usou a tribuna da Câmara dos Deputados para manifestar sua indignação sobre o episódio.
      Feliciano classificou “Programa do Jô” como “o maior talk-show da televisão brasileira”, e afirmou que causou estranheza o fato de artistas “mostrarem vilipêndio ao maior símbolo da humanidade em amplitude universal, que é a Bíblia”.
       Ele ainda mostrou apoiar o abaixo-assinado promovido por Renê Terra Nova, chamando-o de “grande líder evangélico e amigo”.
       Segundo reportagem da Folha, a Central Globo de Comunicação diz que "evidentemente, não foi um comentário ofensivo, mas é assustadora toda iniciativa contra a liberdade de expressão". O pastor foi procurado pela Folha, mas não atendeu às ligações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário