quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Pastor tem direito a receber 13º salário? Economista evangélico defende que sim


O 13º Salário é uma injeção de renda na conta dos brasileiros em uma época do ano que apresenta muitos gastos. Fim de ano, despesa com presentes e comemorações, além do início do ano, em que geralmente chegam as contas relativas a impostos de casa, carro, material escolar, entre outros.
Esse salário extra foi validado a partir da lei 4.090, do dia 13 de Julho de 1962 e desde então, passou a ser obrigatório para os trabalhadores com carteira assinada. Há quem defenda que os pastores devam receber 13º Salário também.

O consultor financeiro Paulo de Tarso, evangélico, foi entrevistado pelo site “Creio” sobre o assunto. Para ele, o cristão deve ofertar o dízimo do 13º salário, e pastores deveriam receber o benefício: “Penso que o cristão deve dar o dízimo sim e depois priorizar o pagamento de dívidas, investimentos e gastos. Depende do que foi acertado entre as partes. Mas penso que, se um trabalhador normal tem direito, o pastor também deve receber o 13º salário”.
Ele ainda orienta os cristãos que trabalham como autônomos a formar seu próprio 13º, para que na época dos gastos maiores, eles também possam contar com uma renda extra: “Assim o autônomo constrói reservas, o que chamo de ‘montar seu próprio banco, fundamental para o sucesso financeiro”.
Tarso critica a gastança com presentes e festas de fim de ano, e argumentando que em Janeiro, as despesas aumentam. “Deve investir uma parte e também fazer alguns gastos. Para aqueles que não têm dívidas, penso que a pessoa poderia gastar o mínimo com presentes de fim de ano e guardar uma boa quantia para as despesas do ano seguinte”.

Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário