domingo, 4 de dezembro de 2011

Religiosos se livram de revista íntima em visita de pregação aos presídios


Resolução do CNPCP (Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária) acabou com a revista íntima em religiosos em visita de pregação aos presidiários.

A medida foi editada para padronizar o tratamento aos pregadores nos estabelecimentos prisionais porque a maioria deles já não era submetida ao procedimento.

Em alguns presídios onde ainda havia a revista, os religiosos eram às vezes submetidos a constrangimentos, segundo Manoel Tranquilino, da Pastoral Carcerária.

"Existem bons policiais, mas também há aqueles mal-educados, grosseiros, que fazem a revista com humilhação”, disse ele à Folha de S.Paulo. “Houve dois casos no ano passado de o agente penitenciário mandar a pessoa levantar a bolsa escrotal.”

Tranquilino não acredita que a regulamentação da medida seja usada para que religiosos entreguem armas aos presidiários. Disse que em mais de 20 anos de trabalho nunca ouviu falar que isso tenha ocorrido.

A resolução também proibiu os líderes religiosos de cobrarem dízimo dentro dos presídios, liberou o uso de objetos de cultos (desde que não prejudiquem a segurança) e reforçou o direito dos presidiários de mudarem de religião.

Nenhum comentário:

Postar um comentário