quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Mark Driscoll recebe críticas por livro sobre sexo no casamento considerado “explícito”


 
Grace e Mark Driscoll

Um novo livro sobre casamento e sexo abordando uma série de “tabus” foi escrito recentemente pelo pastor Mark Driscoll e sua mulher, Grace. Publicado pela editora Thomas Nelson, Real Marriage: The Truth About Sex, Friendship And Life Together [Casamento Real: A Verdade Sobre Amizade, Sexo e a vida em conjunto] está na listas de mais vendidos da Amazon e Barnes & Noble desde o seu lançamento, na semana passada.
Mas parece que assuntos como masturbação, sexo oral, sexo anal, fantasias sexuais, sexo durante a menstruação, sexo virtual, brinquedos sexuais, controle de natalidade, cirurgia estética, medicação sexual e agressão sexual, tratados nas páginas do livro, não são bem vistos pelos cristãos mais conservadores.
Driscoll, 41, líder da megaigreja evangélica Mars Hill em Seattle, já escreveu outros livros polêmicos, mas esse parece ter gerado mais críticas que de costume. Para muitos pastores, o conteúdo é demasiadamente explícito e pode constranger os cristãos. A razão para o protesto é clara, uma vez que na maioria das igrejas o assunto sexo ainda é “proibido”.
O casal compartilha nas páginas da obra detalhes muito íntimos sobre o seu passado e seu relacionamento conjugal. Todos os assuntos tratados primeiramente questionam se a Bíblia os considera legítimos e, logo em seguida, se podem ser úteis para o casal. Esse é um terreno espinhoso. Em certo momento, Driscoll escreveu: “Muitos casais cristãos decidiram que, embora seja permitido, o sexo anal não é benéfico, pois oferece riscos demasiadamente grandes. Alguns, no entanto, optaram em experimentá-lo, para diversificar a relação”. O casal Driscoll afirma que a Bíblia não proíbe a masturbação, nem vê problemas em se usar “brinquedos sexuais”, mas são claros em classificar o aborto como um “assassinato”.
Em suma, os pastores da Mars Hill afirmam que os corpos não pertencem aos cônjuges e experimentar no relacionamento é algo a ser elogiado.
No livro, o casal afirma que leu na totalidade ou em parte, 187 livros sobre casamento enquanto escreviam sua obra. Para eles, a maioria deles eram muito brandos, escritos para responder às perguntas das gerações passada, que tinham questões muito diferentes. O foco era principalmente as mulheres e, por isso, não eram interessantes para a maioria dos maridos. Além disso, segundo eles, tratavam com quase nenhuma franqueza as partes pecaminosas e dolorosas que um casal pode enfrentar.
Seus críticos, porém, são contundentes. O escritor cristão Denny Burk postou uma análise no seu site pessoal, dennyburk.com , onde classifica alguns capítulos como “uma receita para o desastre conjugal.” E disse ainda: “existem perversões de que eu nunca tinha ouvido falar antes de ler o livro do pastor Driscoll. Parece-me que há algo de errado com isso”.
David Moore opinou em theburnerblog.com que o livro minimiza a importância das mulheres e acaba sendo excessivamente focado na satisfação do sexo masculino.
Tim Challies, no challies.com, escreveu que há uma falta de coesão interna no livro, pois não fica claro se é um guia de sexo ou um livro sobre relacionamentos. Para ele, quando Cântico dos Cânticos é usado para defender muitos atos sexuais, acaba “destratando o evangelho”.
A autora Rachel Held Evans escreve em rachelheldevans.com que, para ela, o livro é ‘nojento’, “chocante” e “preocupante”. Ela acredita que seja um reflexo do “relacionamento sexual conturbado” de Mark com sua esposa e que danifica a imagem da mulher. Para Evans, Mark Driscoll “não é qualificado para servir como um terapeuta sexual, aliás, como a maioria dos pastores não são!”
Há também quem tenha gostado. Bob Coy, pastor da Calvary Chapel de Fort Lauderdale, Flórida, disse acreditar que “a obra é ‘muito oportuna’ e ‘lida com um assunto que muitas vezes não está claro para os cristãos, especialmente os que estão na casa dos 20 anos”.
Respondendo à enxurrada de reações negativas, o pastor Mark se defende “Tentei escrever um livro sobre sexo junto com minha mulher… Não é apenas um material que eu criei… Estas são as questões com que tenho lidado nesses mais de 15 anos de ministério…. Vou suportar as críticas tanto quanto for necessário, para ajudar tantas pessoas quanto puder… Sabíamos que esse livro seria um momento difícil e desafiador para recordamos alguns dos nossos momentos mais difíceis no relacionamento.
Pela graça de Deus, foi uma experiência unificadora e transformadora, que nos tornou melhores amigos e amantes”.

Traduzido e adaptado de Charisma News e Daily Mail

Nenhum comentário:

Postar um comentário