quinta-feira, 15 de março de 2012

Ministro da Educação defende “kit gay”, mas mantém cautela

Ministro da Educação defende “kit gay”, mas mantém cautela
Aloizio Mercadante, ministro da Educação, se mostrou cauteloso ao ser questionado sobre o uso de material “kit gay” na rede pública de ensino. Ele reconheceu a necessidade de tratar o assunto, mas criticou uso de vídeo, por exemplo, como forma de combater o preconceito.
“Se eu acreditasse (…) que lançar um material didático, simplesmente produzir um vídeo e lançar na escola resolvesse, nós estaríamos fazendo, mas não vai resolver. Só o clima que nós criamos aqui no âmbito do Congresso Nacional, longe de contribuir, acirrou as posições”, afirmou o ministro em audiência pública na Câmara dos Deputados.
Elaborado na gestão de Fernando Haddad (PT), o kit de combate à homofobia teve sua distribuição suspensa em maio do ano passado pela presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, a assessoria de imprensa do ministério informou que ele era composto de vídeos e de publicação de orientação para professores.
Segundo o ministro, o debate no congresso sobre o kit foi alvo de “intransigência e polarização”. “Nós temos crianças na rede escolar que vão para casa envergonhadas, humilhadas (…) e uma das razões é a homofobia”, disse o ministro.
“Nós precisamos fazer uma pesquisa mais cuidadosa e mais aprofundada sobre como construir um diálogo que respeite a diversidade em todas as suas formas. Para construir essa cultura nós vamos ter que estudar mais a fundo a homofobia e como dialogar, porque o enfrentamento direto eu acho que não vai ajudar”, completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário