quinta-feira, 5 de abril de 2012

Bispo Edir Macedo critica “falsos apóstolos” e os classifica como “fraudulentos”. Leia na íntegra

Bispo Edir Macedo critica “falsos apóstolos” e os classifica como “fraudulentos”. Leia na íntegraO bispo Edir Macedo publicou em seu blog um artigo criticando os atuais líderes evangélicos que usam o título de “apóstolo”, afirmando que “o mesmo Espírito de Deus que revelou a Paulo os obreiros fraudulentos, nos tem revelado também os falsos apóstolos”.
Macedo introduz sua crítica recontando a história de Paulo, que de perseguidor dos cristãos se transformou em um apóstolo de Cristo, vencendo as desconfianças dos demais líderes da igreja primitiva. “Advogado inteligente, estudioso e profundo conhecedor das Escrituras Sagradas, inicialmente encontrou forte oposição por parte dos primeiros apóstolos, que não criam que um perseguidor e noviço na fé se transformasse “da noite para o dia” também num apóstolo. Porém, diante das revelações extraordinárias, profecias, obras e, sobretudo, do testemunho do Próprio Senhor Jesus a Ananias (Atos 9.10-13), todos o aceitaram como um apóstolo temporão”, contextualiza o líder da Igreja Universal do Reino de Deus.
Porém, Macedo afirma que “o mesmo espírito que se fazia passar por anjo de luz, na época de Paulo, se manifesta nos dias atuais”, e que “podemos e devemos provar os espíritos”, pois um apóstolo é “o primeiro dos ministérios. É como o tronco principal, a primícia de Deus. A partir dele vem o profeta, depois o evangelista, pastor e mestre. Nele estão inseridos os demais ministérios”, citando as passagens bíblicas de I Coríntios 12:28, Efésios 4:11 e 2 Pedro 3:2 como referência.
Edir Macedo é desafeto público do líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, apóstolo Valdemiro Santiago, que foi bispo da Universal durante anos, até sair e fundar a atual denominação. A guerra entre ambos tem rendido vários capítulos, e entre os mais recentes, estão acusações feitas contra Valdemiro pelo programa Domingo Espetacular, da TV Record, que pertence a Macedo, revelando a compra de fazendas em nome da Mundial e arrendadas pelo apóstolo.
Confira a íntegra do artigo “Anjo de Luz”:
Paulo era um ferrenho perseguidor da Igreja Cristã primitiva. Imbuído de autoridade, concedida pelo principal sacerdote, foi à caça de mulheres e homens convertidos para arrastá-los à prisão.
Seu ódio implacável não era devido à inveja, posição política, interesses econômicos ou pessoais.
Sua obstinação em tentar frear o cristianismo se dava por conta de seu extremo zelo pela fé tradicional de seus antepassados.
Era um religioso fanático. Cego, espiritualmente.
Por outro lado, também mostrava algo sublime em seu caráter: zeloso na sua fé e irrepreensível no cumprimento da Lei Judaica.
Ou seja, era sincero. Assumia sua crença.
Por conta dessa sinceridade, Deus o designou como instrumento escolhido para ser apóstolo enviado aos gentios.
Seu encontro com Jesus no caminho de Damasco mudou o curso da sua história e da Igreja.
Advogado inteligente, estudioso e profundo conhecedor das Escrituras Sagradas, inicialmente encontrou forte oposição por parte dos primeiros apóstolos, que não criam que um perseguidor e noviço na fé se transformasse “da noite para o dia” também num apóstolo.
Porém, diante das revelações extraordinárias, profecias, obras e, sobretudo, do testemunho do Próprio Senhor Jesus a Ananias (Atos 9.10-13), todos o aceitaram como um apóstolo temporão.
No decorrer de seu ministério entre os gentios (não judeus), Paulo logo identificou obreiros fraudulentos transformados em apóstolos de Cristo.
“Porque os tais são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, transformando-se em apóstolos de Cristo. E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus próprios ministros se transformem em ministros de justiça; e o fim deles será conforme as suas obras.” 2 Coríntios 11.13-15
Que lições tiramos disso?
Que o mesmo espírito que se fazia passar por anjo de luz, na época de Paulo, se manifesta nos dias atuais;
Que o mesmo Espírito de Deus que revelou a Paulo os obreiros fraudulentos, nos tem revelado também os falsos apóstolos;
Que as credenciais de um verdadeiro apóstolo são:
Como um patriarca, o apóstolo é o primeiro dos ministérios. É como o tronco principal, a primícia de Deus. A partir dele vem o profeta, depois o evangelista, pastor e mestre. Nele estão inseridos os demais ministérios. I Coríntios 12.28; Efésios 4.11; 2 Pedro 3.2
Que podemos e devemos provar os espíritos, sim.
“Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora.” I João 4.1

Nenhum comentário:

Postar um comentário