segunda-feira, 7 de maio de 2012

Mãe de gay de Avenida Brasil é evangélica

Atriz Paula Burlamaqui será mãe religiosa. Novela será boa oportunidade para discutir religião e intolerância
Atriz Paula Burlamaqui será mãe religiosa. Novela será boa oportunidade para discutir religião e intolerância
Welton Trindade, no Parou Tudo

Roni (Daniel Rocha) ainda nem se revelou gay e já ganhou mais um obstáculo: o rapaz ganhará uma mãe evangélica em “Avenida Brasil”. Dolores Neiva (Paula Burlamaqui) ex-atriz de filmes pornográficos (conhecida no passado como Soninha Catatau) vai entrar na trama em breve.
Segundo informa a coluna de Patricia Kogut, de “O Globo”, o pai da rapaz, Diógenes (Otávio Augusto), receberá uma carta da ex-mulher querendo encontrá-lo. “Eu lá quero aquela doida? Aquilo é assombração, Silas!”, dirá o comerciante.
“Se o Roni fosse filho de chocadeira, tinha se dado melhor. Pior, meu Roninho cresceu achando que a mãe morreu num naufrágio. Como é que eu vou explicar agora que ela está viva?”.
Tá aí uma ótima oportunidade de debate sobre religião e homossexualidade. Bom, pelo menos na Globo sabemos que o evangelismo não sairá vitorioso!
E para quem não se recorda, na última trama de João Emanuel Carneiro, “A Favorita”, Paula também interpretou uma personagem num contexto GLS. Ela vivia a lésbica Stela que se tornava a melhor amiga de Catarina (Lília Cabral) e chegou a se declarar à amiga. No último capítulo, as duas partiam para Buenos Aires, mas sem conotação romântica.
dica do Israel Anderson

Nenhum comentário:

Postar um comentário