quarta-feira, 4 de julho de 2012

Pastor afirma que igrejas como a “Mundial do Poder de Deus” estão à beira do caminho da heresia

Pastor afirma que igrejas como a “Mundial do Poder de Deus” estão à beira do caminho da heresia
O crescimento de algumas denominações evangélicas, como a Igreja Mundial do Poder de Deus (IMPD), apontada pelo último Censo como uma das igrejas apontadas como de grande expansão no Brasil, com 135 mil fiéis, tem causado preocupação e discussões entre líderes cristãos.
O pastor e apologista cristão João Flávio Martinez, presidente do Centro Apologético Cristão de Pesquisas, afirmou que algumas dessas igrejas, conhecidas como igrejas neopentecostais, ultrapassaram as barreiras do protestantismo e estão à beira do caminho da heresia.
Martinez questionou, durante uma pregação, a postura de denominações que, segundo ele, “na teoria tem confissão de fé evangélica, mas na prática se assemelham mais a uma seita”. De acordo com o The Christian Post, o pastor citou em suas críticas nomes de líderes conhecidos como o bispo Edir Macedo, missionário RR Soares, Sônia e Estevam Hernandes.
Citando diretamente a Igreja Mundial, o apologista afirma que o líder desse movimento, o apóstolo Valdemiro Santiago, chegou a colocar Jesus no nível de “criatura”.
- Os crentes são de vida espiritual supérflua e sem profundidade. A maioria das práticas de igrejas como essa não passa de ‘macumba evangélica’ e não cristianismo Bíblico – criticou Martinez, que afirmou ainda que esses movimentos tem transformado a Igreja Brasileira em uma instituição que preza mais a criatura que o Criador, ou seja, que serve mais ao homem e menos a Deus.
- Os crentes são de vida espiritual supérflua e sem profundidade. A maioria das práticas de igrejas como essa não passa de ‘macumba evangélica’ e não cristianismo Bíblico – ressaltou o apologista.
A IMPD é alvo de críticas não apenas de Martinez, a Igreja Presbiteriana já considerou em seu Supremo Concílio a denominação como uma seita, assim como fez também com a Igreja Universal.
Em uma entrevista ao The Christian Post, o pastor presbiteriano Augustus Nicodemus criticou o foco das pregações da igreja estarem centrados na teologia da prosperidade, “girando tudo em torno dos templos, na arrecadação financeira e nas promessas de prosperidade”. Ele alerta ainda para a falta de discipulado e de acompanhamento da vida dos membros da IMPD.
- Ao final, o que você tem não é o Evangelho puro e simples das Escrituras, ensinado por Jesus e pelos apóstolos, mas uma religião voltada para a solução dos problemas imediatos das pessoas e que relega a plano secundário, quando não esquece totalmente, aquilo que é central no Cristianismo: a reconciliação com Deus, de ricos e pobres, mediante o arrependimento dos pecados e fé na obra completa de Jesus Cristo – concluiu Nicodemus.
Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário