quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Steve Jobs reencarnou como um “ser Divino”, afirma grupo budista


Steve Jobs reencarnou como um “ser Divino”, afirma grupo budistaSteve Jobs reencarnou como um “ser Divino”, afirma grupo budista
Um movimento budista tailandês respondeu a pergunta “Onde está Steve Jobs?” durante um sermão recente. A dúvida foi lançada por Tony Tseung, engenheiro-chefe da Apple em Cupertino, Califórnia, e seguidor da seita. Ele tinha curiosidade em saber o que aconteceu com o fundador da Apple após a sua morte.
Phra Thepyanmahamuni, sacerdote de templo Wat Phra Dhammakaya, na Tailândia, explicou:
“Depois que o Sr. Steve Jobs fez a passagem, ele reencarnou como um ser divino… Sua reencarnação é um “Thepphabhut Phumadeva” [divindade] de nível médio. Ele é meio Witthayathorn, metade yak e vive em um universo paralelo, não muito distante de onde ele vivia como ser humano”.
Segundo o jornal Bankok Post, as palavras do sacerdote precisam ser explicadas. Jobs é agora, parte “Witthayathorn”, um termo desconhecido em outras línguas e, aparentemente por causa de seu temperamento, “metade yak”, um demônio gigante que é visto principalmente ‘guardando’ os templos budistas da Tailândia.
O sacerdote diz saber que passou a descrever como Jobs vive: “Em relação ao espaço onde reside este novo ser divino: é muito bonito, simples e de tamanho médio, com seis andares, construído com prata e grandes quantidades de cristal (…) O novo ser divino tem cerca de 20 funcionários celestes a seu serviço que são parte do bom karma que ele obteve de sua natureza caridosa durante sua forma humana como doar dinheiro, objetos e conhecimento para os outros e para a sociedade”.
Os pontos de vista de Steve Jobs sobre a vida após a morte nunca foram muito claros. Em entrevista ao programa 60 Minutes ele explica que “Às vezes, eu acredito em Deus, às vezes não. Acho que é uma chance de 50%… talvez. Mas desde que eu fiquei com câncer, estive pensando mais sobre isso. Eu acredito agora um pouco mais… talvez seja porque eu quero acreditar na vida após a morte, que quando você morre as coisas não desaparecem simplesmente. A sabedoria que você acumulou, de alguma forma ela continua… Sim, mas às vezes eu acho que é… apenas como uma chave de liga e desliga. Um clique e você se foi… E é por isso que eu não gosto de colocar interruptores nos dispositivos da Apple”.
O movimento Dhammakaya que diz saber o destino de Jobs é considerado uma seita budista da Tailândia. O grupo possui milhões de seguidores em todo o mundo, muitos dos quais são políticos poderosos da região asiática. Mas o Bangkok Post diz que há seguidas denúncias sobre seu envolvimento com fraudes das doações e reclamações sobre a venda de milagres.
Traduzido e adaptado de Huffington Post

Nenhum comentário:

Postar um comentário