sábado, 29 de setembro de 2012

A crucificada capa da Placar


Título original: A história da Placar não merecia uma capa dessas. É muita apelação gratuita. Feita apenas para chocar. Para vender mais alguns exemplares…
Cosme Rímoli, em R7 Notícias
Não há justificativa para tamanha apelação.
A história da revista Placar não merecia esta capa.
Neymar crucificado como Jesus Cristo na edição de outubro.
Mãos e pés sangrando, pregados na cruz.
Bisonha, triste, de péssimo gosto.
Feita apenas para chamar a atenção.
Para vender alguns mais exemplares…
Fica a indignação de um fiel leitor…
(A pronta resposta do editor da Placar, Sérgio Xavier…
Caro Cosme:
Capas fortes só se justificam quando você tem um tema forte. A gente acredita na Placar que ele estava sendo apedrejado, linchado… crucificado. A imagem da capa nasceu quando esses verbos foram aparecendo na pauta. É uma capa forte, em nenhum momento imaginávamos que íamos agradar a todos. Sabíamos que isso ia acontecer. Apelação gratuita não me parece uma expressão justa para a discussão que estamos propondo. O assunto é crucificação, apedrejamento mesmo. A imagem é consequência do raciocínio, não o inverso. Mas evidentemente a gente respeita a opinião de quem não gostou.
Desta vez estamos de lados diferentes, Sérgio.
Grande abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário