quinta-feira, 13 de setembro de 2012

Na Rússia foi criado o atlas das religiões


Na Rússia foi criado o Atlas das religiões. Os seus autores, - os sociólogos do serviço não comercial de pesquisas Sreda, - estão certos de que o mapa de preferências religiosas mostra não somente toda a variedade de crenças mas também representa um retrato etnológico, psicológico e civil peculiar do país. O primeiro Atlas das religiões da Rússia é um projeto único, sem análogos na história do país, - ressaltou na entrevista à Voz da Rússia o autor do atual Atlas Roman Lunkin.
"A idéia da sua criação foi inspirada pelas pesquisas européias de valores religiosos que se realizavam em diversos países, incluindo os Estados – membros da União Europeia. Resolvemos adaptar a experiência europeia à situação russa e realizamos no quadro do nosso projeto uma pesquisa que mostrou o índice de religiosidade em diversos sujeitos da Federação Russa. Isto permitiu-nos fazer um retrato de cada região do país, de cada nação que vive nesta região e, também, de cada religião". 
Hoje cerca de 36 milhões de pessoas que vivem em diversas regiões da Rússia crêem em Deus ou numa força superior, mas não seguem os preceitos de nenhuma religião concreta. Mais de um milhão e meio decidadãos que vivem na Yakútia, na república de Altai e na Ossétia do Norte professam a religião dos antepassados, isto é, veneram os deuses e espíritos pagãos. O número de adeptos do catolicismo é igual apenas a 140 mil pessoas, - a maioria deles vive nas regiões centrais. Quanto ao número de protestantes, este supera duas vezes o número de católicos. A comunidade de adeptos do judaísmo é mesma que dos católicos, isto é, 140 mil pessoas. Quando ao número de budistas, lidera a república de Tuva – 62% dos seus habitantes são seguidores da doutrina de Buda. Ao todo, na Rússia existem cerca de 700 mil budistas.
Dados muito interessantes foram também obtidos no processo de pesquisa entre os muçulmanos. Soube-se que o número de pessoas que professam o islã mas não são xiitas, nem, sunitas, beira sete milhões. A esta categoria pertence quase metade da população da Cabardino – Balkaria. Dois milhões de muçulmanos são adeptos da corrente sunita do islã. E o número de xiitas é de uma ordem mais baixa – esta comunidade conta menos de 300 mil adeptos. Cerca de 2% deles vivem no Daguestão. Roman Lunkin está certo de que este Atlas permite revelar os pontos mais perigosos no plano do extremismo religioso. 
"Por um lado, resultado que fizemos um retrato espiritual, religioso, social e psicológico da região. Temos opções referentes à prática religiosa. Por outro lado, temos uma série de questões referentes à participação de uma pessoa dada na vida cívica, nos trabalhos voluntários e no business. Desta maneira é criado o retrato do cidadão, o que nos ajudará a descobrir o quanto é pacífica a política religiosa que se leva a cabo nesta região".
Uma outra descoberta surpreendente é o número de ortodoxos. Pusemos em dúvida os dados existentes, - prossegue Roman Lunkin.
"De acordo com os nossos dados, 41% dos habitantes da Rússia consideram-se ortodoxos e pertencem à Igreja Ortodoxa Russa. Trata-se da filiação consciente à Igreja Ortodoxa Russa. É uma percentagem bastante grande mas ela difere bastante das lendas, de acordo com as quais quase 90% dos russos seriam ortodoxos. Aliás, a maioria dos que se dizem ortodoxos, não pensam na religião como tal".
A pesquisa demonstrou que a Rússia, de um modo geral, é um país religioso, - prossegue o analista. Nas suas vastidões pode-se encontrar simples cristãos que não se consideram membros de alguma confissão mas acreditam em Jesus Cristo, os velhos-crentes, e os adeptos das religiões e práticas orientais – os hinduístas e crixniaitas. Apenas 18 milhões de pessoas declararam que são ateus. De acordo com os dados do Atlas, o número total de habitantes da Rússia supera um pouco 143 milhões.

VR

Nenhum comentário:

Postar um comentário