terça-feira, 9 de outubro de 2012

Mundial é suspeita em Moçambique de impor a pastores meta de dízimo


O Ministério da Justiça de Moçambique está investigando a acusação de pastores recrutados no país pela Igreja Mundial de que a denominação brasileira impõe meta para arrecadação de dízimo.

O país africano é uma ex-colônia portuguesa e tem cerca de 20 milhões de habitantes. Além da Mundial, outras “seitas brasileiras” (expressão usada pela imprensa local), como a Igreja Universal, têm templos em Moçambique. 

A adoção de metas para arrecadação de dízimo é comum no Brasil por parte de igrejas neopentecostais. Um vídeo que vazou para a imprensa em meados 2010 mostra Romualdo Panceiro, o segundo na hierarquia da Universal, dizendo que os sete pastores que mais arrecadaram dízimo iam receber como prêmio uma viagem para Israel. 

Em Moçambique, a igreja de Valdemiro Santiago também é acusada de dar calote no Instituto Nacional de Segurança Social, embora o percentual de contribuição ao órgão seja descontado do salário dos pastores. Outra acusação é de que os pastores africanos ganham menos do que os brasileiros que para lá foram enviados. 

Recentemente, dois pastores africanos em litígio com a Mundial fizeram um acordo em troca de uma indenização cujo valor não foi divulgado.

Valdemiro Santiago vai com frequência a Moçambique
Com informação do site moçambicano Verdade.

Fonte: http://www.paulopes.com.br/2012/10/mocambique-investiga-igreja-mundial.html#ixzz28qqWimo9
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário