sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Série “Sexo, morte e o sentido da vida” quer mostrar como os ateus veem o mundo



Série “Sexo, morte e o sentido da vida” quer mostrar como os ateus veem o mundoSérie “Sexo, morte e o sentido da vida” quer mostrar como os ateus veem o mundo
“Se não há um Deus nos observando, por que ser bom?”. Essa é a descrição de uma nova série de televisão apresentada pelo cientista ateu Richard Dawkins, na emissora Canal 4, do Reino Unido. O programa, que estreou esta semana, mostra Dawkins em lugares como um subúrbio de Londres e uma cidade do sul dos Estados Unidos, examinando o argumento de que “os códigos morais da religião absolutista apenas alimentam as mentiras e a culpa”.
Os três episódios do programa que leva o curioso nome de “Sexo, Morte e o Sentido da Vida” promete explorar “o que acontece se deixarmos a religião para trás”. Como apresentador e roteirista, o renomado biólogo evolucionista deseja mostrar como a razão e a ciência podem substituir a religião na tarefa árdua de guiar a vida humana. ”A ciência é capaz de nos trazer consolo diante da morte, ajudar-nos a distinguir entre o certo e o errado, ou revelar o sentido da vida?” são apenas algumas das questões que o programa pretende abordar.
No primeiro episódio, já disponível on-line, Dawkins trata de questões relacionadas ao sexo e à ideia de pecado. O episódio começa com o autor de Deus: um Delírio, declarando: “Um número cada vez maior de pessoas percebe que não existe um deus, mesmo assim a religião exerce um grande poder sobre nós. Acho que as ideias como sermos santos ou pecadores, de céu e inferno, ainda moldam o nosso pensamento. Eu gostaria de oferecer uma alternativa científica”.
“Esta série não quer analisar se Deus existe ou não. Ela aborda questões mais difíceis”, acrescentou ele na abertura do programa de 46 minutos. ”O que vai nos guiar e inspirar em um mundo sem deuses?”, é o desafio lançado.
O episódio mostra Dawkins em locais tão diferentes como Nova York e Nova Deli, na Índia, visitando templos e falando com figuras religiosas. Ele também visita uma clínica de cirurgia plástica em Paris especializada em fazer com que noivas muçulmanas tornem-se virgens novamente.
O programa não deseja explorar a moralidade e a fé, como Dawkins explica no primeiro episódio, “Vou explorar o poder que a ideia religiosa do pecado exerce sobre nossas vidas, explicar porque é algo inútil e mostrar como podemos usar a razão e a ciência para encontrar uma maneira melhor de sermos bons”.  Seu argumento principal é que “as raízes mais profundas de comportamento moral” estão no “passado evolutivo” da humanidade.
O episódio de estreia dos breves documentário de Dawkins recebeu críticas mistas dos espectadores, que podiam enviar perguntas e fazer comentários sobre o programa através do site do Canal 4.
Alguns aplaudiram a iniciativa, outros reclamaram porque ele só mostra o aspecto ruim da religião, ignorando as obras de caridade religiosas, que ajudam pessoas doentes ou sem-teto.
No segundo episódio, Dawkins quer abordar a morte sob uma perspectiva científica. Ele irá observar o ritual de uma pira funerária hindu na Índia e visitar um laboratório de genética, em Nova York. De acordo com o Canal  4, o terceiro e último episódio mostrará o biólogo evolucionista respondendo à pergunta “O que motiva um ateu a se levantar todas manhãs?”.
Traduzido de The Christian Post 

Nenhum comentário:

Postar um comentário