terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Retrospectiva Gospel: da “evangelização” da Globo à comprovação da força dos evangélicos no Brasil; Relembre o que de importante aconteceu em 2012

Retrospectiva Gospel: da “evangelização” da Globo à comprovação da força dos evangélicos no Brasil; Relembre o que de importante aconteceu em 2012
O ano de 2012 foi bastante agitado no meio cristão nacional e internacional, devido a momentos como às eleições, a divulgação dos dados do Censo 2010, que apontaram crescimento dos evangélicos no Brasil, polêmicas envolvendo grandes líderes evangélicos, como Ana Paula Valadão, o pastor Silas Malafaia, apóstolo Valdemiro Santiago, bispo Edir Macedo, entre outros fatos.
Em uma grande reportagem,  juntou os principais fatos do ano e separou em duas matérias especiais. A de hoje falará dos grandes eventos, momentos e instituições que de alguma forma, seja positiva ou negativa, ganharam destaque neste ano de 2012. Na matéria que irá ao ar no dia primeiro de janeiro abordaremos os grandes nomes e personalidades do meio cristão mundial pontuando quem se destacou e quem “pisou na bola” neste ano que se encerra, lembrando assim das falas do Pastor Silas Malafaia, da saga vivida pelo pastor Yousef Nadarkhani, das opiniões polêmicas sobre sexo vindas do Bispo Edir Macedo, dos ataques do deputado Jean Wyllys e de outros que talvez você não lembre agora, mas que de alguma forma começaram a fazer parte da história em 2012.
Nossa retrospectiva anual começa hoje lembrando do fato que mais pautou análises e projeções: o crescimento do número de evangélicos no país, entre os anos 2000 e 2010. A revelação, feita pelo IBGE através da divulgação dos dados do Censo 2010, apontou um crescimento de 61% das pessoas que se declaram evangélicas, somando um total de 42,3 milhões de pessoas, ou 22,2% do total de brasileiros.
O meio evangélico presenciou ainda uma forte polêmica entre o ministro-chefe da Casa Civil do governo federal, Gilberto Carvalho, e as principais lideranças evangélicas do país. O homem considerado braço direito da presidente Dilma Rousseff protagonizou o debate iniciado no Fórum Social Mundial em Porto Alegre, quando afirmou que o governo precisaria iniciar um debate ideológico com pastores, para obter maior influência junto à população evangélica. Entre os líderes que se manifestaram com repúdio à postura do ministro, estiveram o senador Magno Malta, o pastor e deputado federal Marco Feliciano e o pastor Silas Malafaia. O episódio foi superado após algumas reuniões e o ministro selou a paz com os evangélicos numa reunião em Brasília.
Outras discussões pautaram ainda o noticiário evangélico neste ano, e entre elas o anúncio do pastor Ricardo Gondim, que decidiu desvincular-se do movimento evangélico devido aos escândalos. Em sua justificativa, o pastor da Igreja Betesda demonstrou estar cansado pelos rumos que o movimento tomou e afirmou: “Passei a evitar a parceria de gente a quem eu jamais confiaria a carteira. Eu tinha que partir”.
A Igreja Maranata viu-se envolvida num escândalo de corrupção, que resultou numa investigação do Ministério Público. As acusações feitas envolviam superfaturamento de compras da igreja, e desvio dos dízimos e ofertas dos fiéis. O caso ainda está sendo investigado, porém toda a cúpula da igreja foi afastada por ordem da justiça.

Sociedade

Na sociedade, os assuntos que tocaram diretamente o meio evangélico foram marcados pela intensidade dos debates. No início do ano, o polêmico julgamento sobre a descriminalização da “antecipação terapêutica do parto” de fetos anencéfalos, ou no popular “aborto de anencéfalos”, promoveu grande comoção entre os principais líderes cristãos do país. A divergência de opiniões a respeito do assunto pode ser ilustrada pelas posturas antagônicas de Marco Feliciano, que considerou a decisão um “assassinato”, e Ricardo Gondim, que aprovou a decisão sob o princípio de que “células se multiplicando não significa humanidade”. Em sua postura radicalmente oposta à dos demais, o pastor da Igreja Betesda afirmou que a decisão significava um avanço: “Vamos dormir em um Brasil melhor. Nenhuma mulher será mais obrigada a gerar um feto para a morte. Não é pouca coisa, nem foi pouca luta”.
Ainda sob o reflexo do embate entre o ministro Gilberto Carvalho e líderes evangélicos, o governo sinalizou com a possibilidade de proibir a locação de horários na TV para igrejas. A proposta faria parte do Novo Marco Regulatório para o setor de comunicações. Houve protestos por parte da bancada evangélica no Congresso, e talvez por sua impopularidade, a idéia não foi levada à diante pelo governo. A medida não agradou às igrejas e também às emissoras, que lucram com os horários alugados por igrejas. Um exemplo é a Band, que com 43 horas semanais de programação evangélica, arrecada anualmente R$ 276 milhões, fora o arrendamento da Rede 21 para a Igreja Mundial do Poder de Deus, por R$ 6 milhões mensais.
Outro tema de grande destaque nas manchetes dos veículos que cobrem o mundo cristão foi a tentativa do procurador federal Jefferson Aparecido Dias de, através da Justiça, obrigar o Banco Central (BC) a retirar a frase “Deus seja louvado” nas cédulas do Real, a moeda nacional. O BC se posicionou contrário à solicitação, e lembrou que além do sentido “amplíssimo” da palavra “Deus”, ela faz referência à Constituição Federal de 1988, que foi estabelecida “sob a proteção de Deus”. A Justiça recusou o pedido, pontuando que os custos da substituição das cédulas e moedas em circulação seria muito alto e causaria grande “intranquilidade” social, além do fato que a frase não representa uma imposição do Estado sobre o indivíduo. Contrário à mudança, o pastor Marco Feliciano prometeu apresentar um projeto de lei que proíba alterações nesse sentido.

Globo

De olho no crescimento dos evangélicos, a TV Globo investiu pesado na relação com esse público, não apenas na promoção e transmissão do Festival Promessas e convites a artistas para seus programas, mas também abrindo espaço de divulgação para a Marcha para Jesus e na aproximação dos líderes evangélicos. Analistas porém, afirmam que essa estratégia seria na verdade, um contra-ataque à TV Record.
A emissora carioca porém não passou imune às críticas de evangélicos em geral. A exibição de um casamento entre duas lésbicas no programa Na Moral, causou revolta ao pastor Silas Malafaia, que afirmou que o programa fazia uma “apologia ridícula” ao casamento gay. Malafaia, porém, foi questionado por outros líderes cristãos sobre o motivo de ele não ter criticado a novela Avenida Brasil, que apresentou uma personagem “evangélica” seminua em um de seus capítulos. O pastor da Assembléia de Deus Vitória em Cristo manifestou-se apenas dizendo que não se importa se o interesse da emissora global é comercial, pois os interesses dos evangélicos seriam apenas os do “reino”.
Outro motivo de críticas à Globo foi o título dado à atual trama apresentada às 21h00 pela emissora. Em sua estréia, Salve Jorge foi alvo de uma campanha contrária nas redes sociais. Os protestos causaram revolta na autora da novela, que afirmou que não se deveria “ampliar a voz dos imbecis”. Entretanto, apesar da campanha contra, o pastor Márcio de Souza criticou a “demonização” da novela, afirmando que o povo “côa mosquito e engole camelo”.
A aproximação das Organizações Globo com os evangélicos não se resumiu à reuniões e programas específicos. A Feira Internacional Cristã, apresentada há poucas semanas, é vista como uma investida do grupo para expandir sua influência no meio e concorrer com a Expocristã, já conceituada no meio evangélico.
Já o bispo Edir Macedo criticou a aproximação da emissora com os demais líderes cristãos e reafirmou que a meta de sua emissora, principal concorrente da Globo, é a liderança.

Política

Na política, houve críticas à atuação da bancada evangélica no Congresso, e o ambiente se tornou conturbado durante as eleições 2012, devido às bandeiras defendidas por alguns candidatos, e que, em essência, desagradavam os evangélicos. Em São Paulo, o candidato petista, Fernando Haddad, apadrinhado por Lula, venceu a disputa para a prefeitura, derrotando José Serra (PSDB). Haddad, que era ministro da educação quando foi iniciada a distribuição do material escolar apelidado de kit gay, teve a oposição cerrada do carioca Silas Malafaia, que prometeu arrebentá-lo na campanha. A postura agressiva fez com que até o próprio candidato apoiado por Malafaia, José Serra, buscasse um distanciamento do pastor, para evitar maiores problemas. No final, Haddad venceu Serra no segundo turno, confirmando estudo publicado pelo Datafolha, que indicava uma rejeição a candidatos apoiados por líderes religiosos.
Assista abaixo ao vídeo com as polêmicas declarações do pastor Silas Malafaia:
A disputa em São Paulo foi marcada por um fato inusitado: o candidato Celso Russomanno (PRB) liderou as pesquisas de intenção de voto em boa parte da campanha, porém, foi derrotado ainda no primeiro turno, ficando de fora da disputa no segundo. Apoiado pela Igreja Universal, denúncias sobre seu envolvimento com a denominação do bispo Macedo fizeram sua popularidade cair. Entre as denúncias, uma ex-obreira da Universal afirmou que o apoio da denominação visava facilitações para a construção do Templo de Salomão, obra milionária que a igreja vem tocando. Em resposta às acusações, Macedo publicou artigos criticando Haddad e em defesa de Russomanno.
O envolvimento de igrejas com políticos ou partidos visando interesses ou vantagens resultou ainda, numa acusação contra o missionário R. R. Soares, feita pela Folha de S. Paulo. De acordo com o jornal, Soares teria pedido votos por candidatos que buscavam a reeleição, como forma de garantir que licenças para construção dos templos da Igreja Internacional da Graça de Deus.
O presidente norte-americano Barack Obama, declaradamente evangélico, foi reeleito após disputa apertada contra o mórmon Mitt Romney. Durante a disputa, diversas lideranças cristãs criticaram o presidente por sua postura não tão conservadora, e apoio à união civil de pessoas do mesmo sexo. Apesar de tudo, Obama foi reeleito pelos cidadãos para continuar o processo de restauração da economia do país e maior atenção do Estado aos mais necessitados.

Igreja Mundial

O principal desafeto de Macedo, o apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, também esteve nos holofotes. Em alguns momentos, por sua criatividade para novas arrecadações, com o lançamento da colher de pedreiro “Prudente Contrutor”, ou pela “‘simbólica’ Fronha dos Sonhos”.
Em outros momentos, as atenções se voltaram a Valdemiro e sua denominação pela conturbada inauguração da Cidade Mundial em Guarulhos; por denúncias feitas através da TV Record a respeito da compra das fazendas no Mato Grosso e eventuais crimes cometidos na transação; ou até mesmo pelo choro em seu programa de TV, quando pedia mais doações dos fiéis para que pudessem ser saldadas dívidas da Mundial.
Reveja a reportagem do Domingo Espetacular com denúncias contra a Igreja Mundial e o apóstolo Valdemiro Santiago:
A sanha arrecadatória o levou ainda a modificar o princípio do dízimo, e sugeriu aos fiéis que doassem à igreja um valor que representasse 10% do que eles gostaria de ganhar, e não os 10% do que realmente ganhavam. Episódios como esse fizeram da igreja alvo de críticas por parte de pastores, que consideram a denominação à beira da heresia.
Apesar dos escândalos, a Igreja Mundial segue seu projeto de expansão na mídia e, segundo sites especializados em TV, a denominação encerra 2012 em plena negociação para a compra da Rede 21, pertencente ao Grupo Bandeirantes e arrendada pela própria Mundial desde 2008.

Mundial versus Universal

Classificadas como concorrentes, Universal e Mundial protagonizaram em 2012, uma guerra por fiéis, com episódios inusitados. Em um deles, uma pessoa supostamente possuída por demônios acusa a Mundial de ser templo de satanás. O divulgador do vídeo com a “entrevista” com o demônio foi ninguém menos do que o bispo Edir Macedo.
Assista à “entrevista” no vídeo abaixo:

Igreja Universal

A Igreja Universal do Reino de Deus completou 35 anos em 2012, e deu andamento a projetos audaciosos, como o megatemplo em Portugal, ao custo de R$ 32 milhões e o Templo de Salomão, uma réplica do templo descrito na Bíblia com lugares para 10 mil pessoas, com obras sendo realizadas 24 horas por dia.
A denominação foi novamente alvo de denúncias, processos e investigações. No México, bancos cancelaram contas da igreja devido às investigações por lavagem de dinheiro realizadas pelo Ministério Público no Brasil. A justiça também decidiu contra a denominação num processo movido por dois ex-membros da igreja, que se sentiram coagidos a fazer doações de dízimos.
A ênfase na arrecadação e a promessa de conquistas financeiras através da teologia da prosperidade levou a Universal a ser destaque na mídia por declarações como “O diabo não se importa tanto quando o povo tem saúde, mas continua pobre; quando tem uma boa família, mas continua pobre; quando se liberta dos vícios, mas continua pobre; quando tem um bom caráter, mas continua pobre”. O texto divulgado pelo site da igreja sugeria que pobreza é sinal de fracasso.
Uma das maiores denominações neopentecostais do Brasil, a Universal não é investigada apenas pelos órgãos públicos, mas também por anônimos, que montaram no Facebook, uma página onde são reunidas denúncias contra a denominação, ou pelo ex-obreiro, que acusa a igreja de impor metas de arrecadação. Porém, os planos da igreja, de acordo com o pesquisador Johnny Bernardo, são de dominar o Brasil: “Para realizar seu intento – de criar uma nação evangélica e “governada” por Deus -, Macedo estabeleceu uma série de estratégias, como eliminação das concorrências, investimento maciço em meios de comunicação, influência da sociedade por meio de campanhas de marketing e defesa de temas polêmicos, a exemplo da legalização do aborto, e a busca do poder pela organização política”.

Record

O investimento maciço em mídia feito pela Igreja Universal, mencionado por Johnny Bernardo, tem na TV Record seu principal expoente. A emissora, pertencente ao bispo Edir Macedo, produziu sua minissérie bíblica de maior sucesso, Rei Davi, que frequentemente derrotava a TV Globo no Ibope, e embora tenha recebido boas críticas devido à fidelidade ao texto bíblico, apresentou cenas de nudez, consideradas desnecessárias e ostentou o patrocínio de uma marca de cerveja, sob a justificativa de que se tratava de uma produção cara.
A Record ostentou durante todo o ano a meta de chegar à liderança, embora algumas vezes tenha ficado atrás do SBT em audiência. O investimento realizado pela emissora, porém, demonstra a vontade de chegar ao topo: em julho, Macedo recebeu a presidente Dilma Rousseff em Londres, na inauguração dos estúdios da emissora para a transmissão dos Jogos Olímpicos.
Entre os evangélicos porém, a Record sofreu muitas críticas, devido à ênfase em participantes homossexuais no reality show Fazenda de Verão, e pela reportagem do Domingo Espetacular, que atacou a prática “cair no espírito” numa longa reportagem, classificando-a como “falsa manifestação do Espírito Santo”.

Ateísmo

Os investimentos do movimento ateísta na difusão de seus ideais cresceram em 2012. A entidade American Humanist Association (AHA) lançou um site infantil para “converter” crianças ao ateísmo e “ensinar valores morais sem a necessidade de Deus”.
O crescimento do movimento talvez possa ser medido através do caso da pastora Teresa Macbein, que após anos de ministério, renunciou ao cargo para assumir sua condição de ateia.
Em 2012 também foi divulgado o conteúdo de uma carta escrito de próprio punho pelo físico Albert Einstein, em que ele afirmava entender que a crença em Deus seja uma lenda resultante de fraqueza e incapacidade humana.
Porém, o movimento ateísta também viveu surpresas durante esse ano. O mais famoso e ativo ateu do mundo, Richard Dawkins, afirmou não ter certeza que Deus não existe.
Uma emissora cristã de rádio britânica fez um estudo com a participação de 71 ateus durante 40 dias. O desafio aos ateus participantes era que eles orassem ao menos uma vez ao dia no período e relatassem suas experiências. Ao final, dois se converteram e outros dois viveram experiências marcantes que os fizeram refletir sobre a frieza e falta de compaixão das pessoas.

Ciência

No campo da ciência, houve a aproximação das pesquisas com a fé se deu através da descoberta do bóson de Higgs, ou a popularmente conhecida “partícula de Deus”. Embora a descoberta ainda não seja definitiva, estudiosos evangélicos ressaltaram sua importância: “Note-se que sem a existência desta partícula, os teóricos do Big Bang reconhecem que o Universo não podia sequer ter se formado após o Big Bang. A comprovação de sua existência não irá provar que o Universo se formou como diz a Teoria do Big Bang… Sua existência não prova que a matéria existe desde sempre ou pode trazer à existência tudo a partir do nada… E sua existência certamente não prova que as leis científicas que regem o Universo poderiam ser escritas sozinhas”, afirmou Jeff Miller, doutor e apologeta.
Uma pesquisa feita por arqueólogos norte-americanos ressaltou a descoberta de indícios da ressurreição de Jesus Cristo: “Nossa equipe se aproximou do túmulo com certa incredulidade, mas os indícios que encontramos são tão evidentes que nos obrigaram a revisar todas as nossas presunções anteriores”, declarou o chefe da equipe de pesquisa.
Por fim, entre os destaques do segmento no ano, esteve o bioquímico Marcos Eberlin, que rebateu a teoria da evolução, pregada por Charles Darwin e aceita por inúmeros cientistas. Eberlin afirmou que a Teoria da Evolução seria uma falácia: “Não aceito a evolução porque as evidências químicas que tenho falam contra ela”. Devido a sua postura, Eberlin foi alvo de protestos na Academia Brasileira de Ciências.

Cinema

A sétima arte, como são conhecidas as produções de cinema, ganhou projetos de filmes de temática cristã em 2012, e Hollywood viu o início de gravações que são tidas, pela indústria cinematográfica, como grandes apostas.
Investimentos de milhões de dólares em filmes que recontarão a história de Noé, Caim, Pilatos e outros – como o intitulado Gods And Kings, que está sendo produzido por Steven Spielberg – são vistos em Hollywood como uma grande oportunidade de atrair aos cinemas um público que se afastou devido às produções tidas como profanas.
No Brasil, o destaque foi para o lançamento do filme Três Histórias, Um Destino, que é uma adaptação do livro do missionário R. R. Soares e estreou com alta média de ocupação das salas. Assista ao trailer do filme:
A polêmica ficou por conta do boato de que o humorista Renato Aragão estaria produzindo um filme em que Jesus Cristo havia falhado em sua missão na Terra, e o personagem Didi o substituiria. Aragão negou que o filme estivesse em produção.

Internacional

Em todo o mundo, o cristianismo ocupou manchetes devido a perseguições e polêmicas. Na Nigéria, o grupo extremista Boko Haram realizou atentados contra cristãos; No Irã, o presidente Mahmoud Ahmadinejad prometeu varrer Israel do mapa; e na web, ativistas muçulmanos prometeram morte aos cristãos.
Os cristãos formam, segundo a Universidade de Oxford, o grupo religioso mais perseguido do mundo, e em 2012, a cada cinco minutos, um cristão foi morto. Um missionário foi preso no Laos, país asiático, por converter 300 pessoas ao cristianismo.
Entre as muitas reações às ameaças, uma das mais inadequadas foi a do pastor Terry Jones, que queimou um exemplar do Alcorão. Já o pastor Silas Malafaia, criticou de forma veemente a postura da presidente Dilma Rousseff a respeito dos conflitos religiosos: “Perdeu a chance de ficar de boca fechada”, disse ele, falando sobre uma suposta “islamofobia”.
2012 marcou ainda a morte do fundador da Igreja da Unificação, reverendo Moon, e as declarações polêmicas do escritor J. J. Benítez, que criticou a Igreja Católica por não colaborar na averiguação da autenticidade dos Evangelhos: “A Igreja mente, manipula e censura”.

Fim do Mundo

As interpretações do calendário maia sobre supostas previsões do fim do mundo, que aconteceriam no dia 21/12/2012, renderam filme e documentários, e muitas histórias de gente que se propôs a criar fortalezas para resistir ao apocalipse e até, venda de perdões por parte de uma paróquia da Igreja Católica na Itália.
Todas essas histórias foram reunidas numa matéria especial sobre o fim dos tempos, publicada pelo Gospel+. No Brasil, o fundador de uma seita foi preso sob acusação de estelionato após sua previsão particular falhar e o mundo não acabar.

Por Tiago Chagas, para o Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário