quinta-feira, 6 de junho de 2013

Manifestação pacífica em Brasília: ‘Eu não quero privilégio para evangélico, mas também não aceito privilégio para gay’, diz Silas Malafaia

Milhares de evangélicos tomaram conta da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, nesta quarta-feira. Segundo a Polícia Militar, foram cerca de 40 mil pessoas que se reuniram para protestar contra o aborto e o casamento gay.

  • Manifestação Pacífica  (Foto:Reprodução/Instagram)
    .


“Estou garantido pela Constituição do Brasil, eu critico o que eu quiser! Para nos calar terão que rasgar a Constituição”.
O evento foi uma manifestação pacífica organizada pelo pastor Silas Malafaia, em “defesa da liberdade de expressão e religião, pela família tradicional e pela vida.”
Silas Malafaia, em seu discurso a favor da liberdade de expressão, mandou um recado à Marta Suplicy, relatora do projeto Anti-Homofobia, conhecido como o PL 122.
Em entrevista coletiva, Silas Malafaia afirmou que as críticas ao ativismo gay não significam homofobia. Segundo ele, impedir essas críticas é instalar ditadura de opinião.
“Minoria não pode calar maioria, isso é direito democrático de direito, o direito de um grupo social não pode cercear o dos outros. Eu não quero privilégio para evangélico, mas também não aceito privilégio para gay.”
Na contra-mão da manifestação, um outro grupo de defesa dos direitos gays gritava em favor da união homoafetiva e do aborto.
A manifestação teve o apoio de lideranças evangélicas como R.R. Soares, Márcio Valadão, Edir Macedo, Ronson Rodovalho, Luciano Subirá, José Wellington, Rina, e Valdemiro Santiago.
Lideranças católicas como o cardeal Dom Odílio Scherer, considerado um dos principais arcebispos do Brasil, também apoiaram o evento.
Segundo o pastor Silas Malafaia, esta é a segunda maior manifestação já ocorrida em Brasília, mesmo sendo realizado em um dia de semana. O evento perdeu somente para as "Diretas Já", que foi realizado em um ponto facultativo no dia.
O evento ocorreu um depois de uma outra manifestação cristã contra o aborto chamada de 6ª Marcha Nacional da Cidadania Pela Vida – Brasil Sem Aborto. A marcha foi organizada por grupos católicos, também na Esplanada dos Ministérios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário