sexta-feira, 5 de julho de 2013

15 implicações da Paixão de Deus por sua glória



Por Jesse Johnson em iProdigo

A essência do Hedonismo Cristão (como Piper chama) é que tudo foi feito por Deus para dar-lhe a glória, e assim (como suas criaturas) nós somos mais felizes quando estamos buscando glorificar a Deus. Na verdade, o significado de todas as coisas deriva da maneira com que elas ampliam a glória de Deus.
O fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre.

Isso é bem fácil de crer à primeira vista. Quando peguei o livro A Paixão de Deus por sua Glória pela primeira vez, li o sumário: todas as coisas existem para a glória de Deus. Concordei com facilidade. Mas, em seguida, na introdução, Piper atinge seus leitores com uma lista de implicações.

Eu não consegui ir muito longe nessa lista até perceber que tinha entendido tudo errado. Eu entendia que Deus existia para mim, e não que eu existia para ele. Eu achava que sabia o que significava que o meu propósito era glorificar a Deus. Mas essa lista me mostrou quão frágil minha teologia era. Ela me convenceu a ler mais, estudar mais e, finalmente, ir para o seminário. Estou escrevendo elas aqui para provocá-lo a ler o livro, e para ser grato por sermos feitos para Ele.

Se o fim principal do homem é glorificar a Deus e gozá-lo para sempre, então as seguintes implicações (todas retiradas do livro A Paixão de Deus por sua Glória) são verdadeiras:

Implicação # 1. A paixão de Deus por sua própria glória e sua paixão por minha alegria não se contradizem.

Implicação # 2. Deus está comprometido com a minha eterna e crescente alegria nele, assim como ele está comprometido com a sua própria glória.

Implicação # 3. O amor de Deus pelos pecadores não consiste em Ele valorizando os pecadores, mas na sua graciosa libertação e capacitação para que desfrutem e se alegrem nele.

Implicação # 4. Se a manifestação da glória de Deus e a alegria mais profunda da alma humana são uma coisa só, então toda verdadeira virtude entre os seres humanos deve levar as pessoas a se alegrarem na glória de Deus. Nenhum ato é verdadeiramente virtuoso, isto é, verdadeiramente amoroso, a não ser que venha de e aponte para a alegria na glória de Deus.

Implicação # 5. Segue-se, também, que o pecado é a troca suicida da glória de Deus pelas cisternas rotas das coisas criadas.

Implicação # 6. O céu será uma interminável e crescente descoberta da glória de Deus com uma alegria cada vez maior nele.

Implicação # 7. O inferno é indescritivelmente real, consciente, horrível e eterno – a experiência em que Deus vindica o valor de sua glória em ira santa sobre aqueles que não se deleitaram naquilo que é infinitamente glorioso.

Implicação # 8. Se a glória de Deus e o profundo deleite da alma humana são, em si, a mesma coisa, então o evangelismo significa a representação da beleza de Cristo e sua obra de salvação com uma urgência sincera de amor que trabalha para ajudar as pessoas a encontrarem sua satisfação nele.

Implicação # 9. Da mesma forma, a pregação cristã, como parte do culto coletivo da Igreja de Cristo, é uma exultação expositiva sobre as glórias de Deus em sua palavra, com o propósito de levar o povo de Deus dos prazeres fugazes do pecado para o caminho do sacrifício de obediência a Deus.

Implicação # 10. A essência da adoração autêntica e corporativa é a experiência coletiva de satisfação sincera na glória de Deus, ou um tremor por não a termos e um desejo profundo por ela.

Implicação # 11. Se a glória de Deus e o profundo deleite da alma humana são, em si, a mesma coisa, então missões mundiais são a declaração das glórias de Deus entre todos os povos não alcançados, com o objetivo de reunir adoradores que engrandecem a Deus através da alegria de vidas radicalmente obedientes.

Implicação # 12. Oração é pedir a Deus por ajuda; está claro que Ele tem gloriosamente todos os recursos e nós somos humildes e felizes em necessidade de graça. (Recebemos ajuda, ele recebe a glória.)

Implicação # 13. A tarefa cristã, em seu conhecimento acadêmico, é estudar a realidade como uma manifestação da glória de Deus, falar sobre o assunto com precisão, e saborear a beleza de Deus nela.

Implicação # 14. A maneira de glorificar a Deus na morte é encará-la como um ganho.

Implicação # 15. Finalmente, se a glória de Deus e o profundo deleite da alma humana são, em si, a mesma coisa, então, como CS Lewis disse: “É um dever cristão, como vocês sabem, que todos sejam tão felizes quanto puderem.”

Traduzido por Annelise Schulz | iProdigo.com | Original aqui

Fonte: http://blogdopcamaral.blogspot.com.br/2013/07/15-implicacoes-da-paixao-de-deus-por.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário